Capital de giro para pequenas empresas: tire suas principais dúvidas!

Você sabe o que é o capital de giro? Muito se discute sobre esse assunto, entretanto, encontramos poucas observações que realmente são importantes no âmbito das empresas menores.

A principal dificuldade do empreendedor está em entender, definitivamente, o que é isso, como definir o valor ideal e, principalmente, como fazer a gestão desses recursos que entrarão na empresa.

O artigo de hoje tem como objetivo esclarecer as principais dúvidas sobre o capital de giro para pequenas empresas. Então, esteja confortável na cadeira, pegue um café e acompanhe-nos nesta leitura!

O que é o capital de giro para pequenas empresas?

O capital de giro, como o próprio nome sugere, é o montante necessário para que sua empresa possa desempenhar as suas atividades. Em outras palavras, podemos definir como o recurso necessário para que o seu negócio possa operar sem ainda ter recebido pelas suas vendas ou prestação de serviços.

Sabemos que, atualmente, as empresas precisam de certo tempo para realizar suas receitas, portanto, o capital de giro é o montante necessário para quitar as suas despesas e custos enquanto os serviços prestados não são pagos.

Qual é a importância do capital de giro?

O conceito de capital de giro nos remete à relevância que ele tem para uma pequena empresa, principalmente aquelas que ainda estão iniciando as suas atividades nesse mundo empresarial cada vez mais competitivo.

Ele é importante para manter as operações da empresa em perfeito estado. Quando ela não tem capital de giro, pode ter problemas para pagar seus fornecedores, cumprir com obrigações tributárias e trabalhistas e ainda atrasar contas básicas, como energia, água, telefone, internet ou aluguel.

Como calcular o capital de giro?

Agora, vamos aprender a calcular o capital de giro necessário para uma pequena empresa. Algumas pessoas podem encontrar alguma dificuldade nesse ponto, mas vamos explicar detalhadamente e com um exemplo prático, para que você possa entender.

Antes de qualquer coisa, é preciso compreender que o cálculo do capital de giro requer algumas práticas administrativas. Por exemplo, é necessário que você tenha um bom controle de caixa, contas a receber, bancos e aplicações financeiras. Além disso, é necessário ter um controle eficiente de contas a pagar, fornecedores e credores.

Isso é necessário porque o cálculo do capital de giro utiliza o Ativo Circulante (AC), que é o conjunto de todos os seus recursos disponíveis ou direitos, como: saldo em caixa, bancos, aplicações financeiras ou clientes em aberto.

Ele também utiliza o Passivo Circulante (PC), que relaciona todos os gastos que vencerão, como fornecedores, empréstimos e despesas convencionais.

Então, o cálculo do Capital de Giro Líquido (CGL) será realizado mediante a aplicação da seguinte fórmula: CGL = AC – PC. Assim, vamos mostrar um exemplo hipotético para entender essa forma de calcular.

Suponhamos que uma empresa tenha um ativo circulante de R$ 10.000,00 e um passivo circulante de R$ 15.000,00. Assim, aplicando a fórmula, chegaremos a um montante de R$ 5.000,00. Ou seja, o resultado — que após a aplicação da fórmula gerará um valor negativo — é o montante de capital de giro necessário para a empresa naquele período.

Como obter recursos para o capital de giro?

Agora que você entendeu o que é capital de giro, seus benefícios e como realizar o cálculo para saber a necessidade desse montante para a sua empresa, vamos mostrar como você pode obter esses recursos.

Uma das formas mais simples, sem dúvidas, é o sócio aplicando esse valor na companhia. Essa seria a forma ideal, tendo em vista que essa pessoa é a proprietária do negócio e pode esperar ele crescer e gerar resultados para recuperar o montante investido.

Ocorre que, dependendo do caso, nem sempre o empresário tem recursos suficientes para cobrir o capital de giro de um negócio. Portanto, para isso, existem produtos financeiros disponibilizados por vários bancos, nosso assunto para o próximo tópico. Continue lendo!

Quais são as melhores linhas para o financiamento do capital de giro?

O financiamento do capital de giro é realizado, na maioria dos casos, por instituições financeiras ou bancárias. Para tanto, existirá uma cobrança de juros, e o empresário deverá ficar atento a isso.

É preciso avaliar tudo com muita cautela, para que você não caia na situação de ter que pagar juros altíssimos. Nesse caso, o recurso que foi adquirido para cobrir o capital de giro e fazer sua empresa crescer pode se tornar um verdadeiro pesadelo, podendo levar o negócio a ter sérios problemas financeiros.

Atualmente, existem produtos financeiros próprios para destinação em capital de giro. Geralmente, esses créditos têm juros menores e prazos maiores para pagar. Alguns ainda podem contar com um período de carência.

Além dos bancos privados, você também pode escolher algumas instituições governamentais que têm por objetivo fomentar a atividade empresarial. Um exemplo clássico é o Banco Nacional do Desenvolvimento Social (BNDES).

Além disso, existem instituições locais, a serviço do governo estadual ou municipal, que emprestam recursos para manutenção do fluxo de caixa das empresas. O importante é que você encontre uma linha que seja possível de pagar e, principalmente, atenda às suas necessidades.

Como gerir esses recursos?

Não existe uma fórmula mágica para gerir os recursos do capital de giro. Você precisa ter em mente que o dinheiro que foi levantado deve servir exclusivamente para manter as atividades da empresa em perfeito estado de operação.

Isso significa que o dinheiro do capital de giro não pode ser utilizado para realizar investimentos ou pagar contas pessoais do empreendedor, o que pode prejudicar a saúde financeira do seu negócio.

Além de ficar sem os recursos para suprir a necessidade da empresa, você também terá uma dívida para pagar, seja ela com os sócios ou com a instituição que emprestou o valor para a sua empresa.

Por fim, podemos afirmar que o capital de giro para pequenas empresas é um importante instrumento na gestão e geração de resultados de um negócio. Sem ele, dificilmente você terá sucesso em seu negócio.

Gostou do artigo de hoje? Gostaria de ficar por dentro de mais conteúdos valiosos como este que você acabou de consumir? Então, assine nossa newsletter. Dessa forma, você não perde nenhuma de nossas novas postagens.

Gerar boleto

Esteja sempre bem informado sem pagar nada!

Cadastre-se e receba um e-mail semanal com as últimas novidades do blog.