Ecommerces de assinatura: conheça esta tendência

ecommerce 300x225  O comércio eletrônico por assinatura baseia-se na negociação de um valor mensal de pagamento com o seu cliente. Em vez de cobrar por produto vendido, a empresa estipula o preço da mensalidade para associar-se ao site, em troca de satisfações para o comprador, como brindes, cupons e facilidades, definindo sua estratégia de vendas de acordo com a necessidade de cada internauta.

Segundo dados divulgados pela Revista Exame, o número de lojas virtuais no Brasil cresceu 800% entre 2005 e 2010. Hoje, existem mais de 10.000 sites de vendas via web no país. Criar um “clube” de assinantes de seus produtos e serviços pode ser uma boa estratégia para empresas que tenham interesse em manter o cliente em contato permanente com o negócio, além de abrir possibilidades de pactuar com o comprador, combinar valores e gerar mais vendas, resultantes da sua aproximação com o público na web.

A loja virtual do tipo B2C (business to client), por exemplo, compra quantidades expressivas. Por isso, pode criar um fluxo contínuo de pedidos a preços favoráveis, o que possibilita gerar a margem de lucro normal e, além disso, ainda repassar produtos com preços mais em conta para os seus assinantes.

O ponto em comum entre páginas de compras por assinatura bem-sucedidas é o profundo conhecimento do perfil do cliente e o suporte total para atendimentos ágeis, nos procedimentos do site, escolha do produto, e inclusive após a concretização da venda. Identificando detalhadamente o perfil do assinante, é possível buscar produtos e satisfações mais específicas e criar as melhores opções possíveis para os membros do “clube”.

Desafios

O grande segredo deste mercado é a criatividade e engenharia do negócio para fidelizar os clientes e ganhar a plena confiança deles. Outro desafio é focar igualmente no serviço oferecido, para que ele seja tão importante quanto o produto em si. A questão da recorrência dos pagamentos deve ser bem pensada e avaliada no modelo de e-commerce de assinaturas, porque se não houver um controle rígido de quem paga e quem não paga, os lucros estancam.

A disponibilidade dos produtos também deve ser estruturada, com um minucioso planejamento de estoque, logística estruturada, custos de operação bem definidos, baixo investimento para aquisição de novos assinantes e um limite programado da quantidade disponível – tudo isso pode ser essencial para o equilíbrio do negócio.

Recursos de manutenção

O setor, que já dobrou em três anos, atrai clientes que buscam um atendimento mais customizado. Nesse tipo de negócio, as redes sociais são ferramentas essenciais de marketing digital. O “boca a boca” na internet é a melhor forma de captação de novos clientes. Porém, não se pode abrir mão de outras estratégias de marketing online, como SEO e links patrocinados, principalmente com os anúncios do AdWords na rede de display, com foco no segmento em que o site atua.

Outra ferramenta muito boa é o Facebook Ads – anúncios que, em função do alto poder de segmentação, permitem alcançar exatamente o seu público-alvo, criando as melhores taxas de conversão das campanhas no seu canal.

Um recurso que precisa ser muito bem trabalhado é o e-mail marketing, que deve estar em constante aperfeiçoamento da segmentação do público e identificação de padrões para melhorar o desempenho da campanha.

Cases de sucesso

As startups de produtos para pets na rede, por exemplo, se aproveitaram do recurso de e-commerce de assinaturas para ofertar produtos, principalmente rações para cães e gatos, com entregas programadas em domicílio. Assim, o dono do animal de estimação indica, logo na primeira compra, marca, quantidade e periodicidade para receber a comida. O cadastro costuma permitir alterações antes da entrega e as lojas já oferecem brinquedos, roupinhas e acessórios que podem ser incluídos a cada pedido.

A startup brasileira de vendas de sapatos Shoes4You foi uma das pioneiras do modelo de e-commerce para assinantes no Brasil. Na plataforma, o foco são as avaliações e opiniões dos compradores, além de testes no modelo quiz para sistemas de preferências – que visam compreender o gosto e estilo das consumidoras, para  futuramente presenteá-la e apresentá-la somente com algo que ela queira ver.

A GlossyBox, empresa alemã com operação também no Brasil, envia todo mês às suas assinantes uma caixa com amostras e miniaturas de produtos de beleza. Se preencher o teste de preferência, a cliente pode personalizar a caixinha com os produtos que combinam com ela. As assinantes ganham pontos que podem ser trocados por produtos em tamanho original e tem acesso à dicas exclusivas sobre beleza e cosméticos através do site.

E você, conhece um case de sucesso de lojas virtuais que adotaram o modelo por assinatura? Conte pra gente o que você acha dessa tendência, participando nos comentários!

banner_rodape